CASOS EMBLEMÁTICOS DO JÚRI – CASO ISABELLA NARDONI

Em nosso blog já tratamos de diversos casos de homicídio que pararam o país. Falamos sobre os fatídicos casos da jovem Eloá, da Rua Cuba, da Susane von Richthofen, e vários outros.

Hoje iremos relembrar o caso da menina Isabella Nardoni, morta por seu pai e sua madrasta. Sem dúvidas, um dos mais tristes episódios da justiça brasileira.

Fique conosco até o final para saber o desfecho dessa trágica história.

O CRIME

No dia 29 de março de 2008, Isabella Nardoni foi encontrada agonizando no jardim do Edifício London, na zona Norte de São Paulo, após ter sido jogada do apartamento, no sexto andar, onde moravam a garota, seu pai Alexandre, sua madrasta Anna Jatobá e dois filhos do casal. Tentou-se prestar socorro à menina após a queda, porém, ela morreu a caminho do hospital.

Em depoimento, o pai de Isabella alegou que o prédio onde moravam teria sido assaltado e a menina jogada pela janela por um dos bandidos. Ele afirmou, ainda, que deixou sua mulher e seus dois filhos no carro e subiu para colocar a menina, que já dormia, na cama e, logo em seguida, desceu para ajudar sua esposa a carregar as outras duas crianças e, ao voltar para o apartamento, viu que a tela de proteção da janela estava cortada e a filha caída ao gramado do jardim do prédio. Alexandre disse que entre o momento de colocar a filha na cama e a volta ao quarto teriam se passado 5 a 10 minutos.

Após investigações, foi constatado que a tela de proteção da janela do apartamento havia sido cortada para que Isabella fosse jogada e que existiam marcas de sangue no quarto da criança.

Segundo os médicos legistas do caso, Isabella teria sido espancada antes de ser jogada pela janela, pois havia sinais de que uma fratura na mão da vítima tivesse ocorrido enquanto ela estava viva. Além disso, foi encontrada uma pequena hemorragia no cérebro comum em casos de “síndrome de criança espancada”.

O JULGAMENTO

O Júri de Alexandre Nardoni e Anna Jatobá durou 5 dias e, ao final, na madrugada do dia 27 de março de 2010, quase dois anos após o cometimento do crime, os jurados condenaram os dois pela morte de Isabella.

No júri, o casal foi apontado como responsável por agredir, estrangular e jogar a menina do sexto andar do prédio em que moravam.

A pena foi fixada em 31 anos, em regime fechado, para Alexandre e 26 anos e oito meses para Anna Jatobá. O pai recebeu uma pena maior, pois cometeu um crime contra descendente, o que é visto como uma agravante genérica, segundo o art. 61, inciso II, “e”, do Código Penal. Ambos foram condenados, também, a 8 meses de prisão por fraude processual.

CONCLUSÃO

O caso da Isabella Nardoni, uma menina de apenas 5 anos, morta pelo pai e pela madrasta, chocou muito o Brasil, causando grande comoção nacional por sua singular crueldade, visto que o crime foi cometido contra uma criança, de forma extremamente brutal.

Quer saber mais sobre algum caso ou assunto? Deixe sua sugestão!

Você também pode deixar uma avaliação no Google, dizendo o que achou do artigo.

D. Ribeiro é Advogado Criminal na Capital – SP – Brasil, e possui também um canal no Youtube chamado Notícias do Ribeiro, para falar direto comigo basta clicar aqui 👉 https://wa.me/5511954771873

Categorias:

4 Comments

  1. O sentimento de posse e ciúmes do marido, fez com que a esposa (madrasta), perdesse a sobrealidade e a racionalidade no momento e situação no qual o casal estavam vivendo, e o marido sem personalidade se conivenciou. Graças a Deus que a justiça foi categórica e unânime.

    Curtir

    1. Um caso chocante de uma brutalidade sem tamanho, mas enfim a justiça foi feita espero que eles cumpram a pena merecida.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s