STF CONFIRMA LEI QUE PROÍBE FABRICAÇÃO E VENDA DE ARMAS DE BRINQUEDO EM SÃO PAULO

STF CONFIRMA LEI QUE PROÍBE FABRICAÇÃO E VENDA DE ARMAS DE BRINQUEDO EM SÃO PAULO

Em sessão ocorrida no dia 16 de dezembro de 2022, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela validade da Lei estadual nº15.301/2014 que proíbe a fabricação e a venda de armas de brinquedo no estado de São Paulo. Siga conosco para entender melhor o caso.

A LEI 15.301/2014

A Lei 15.301/2014 é de autoria do deputado André do Prado e prevê a proibição da comercialização, fabricação e distribuição de armas de brinquedo. Ela foi promulgada em 14 de janeiro de 2014 por ato do Legislativo, pois o Projeto de Lei 942/2011, aprovado pelo Plenário da Assembleia em 18 de dezembro de 2012, foi vetado pelo governador da época. Um ano depois, em 17 de dezembro de 2013, ocorreu a derrubada do veto e, assim, a Lei estadual pôde entrar em vigor.

O objetivo da lei era diminuir a violência e proteger as crianças, porém, o governo estadual entendeu que a norma invadia a competência da União, ou seja, alegou que o poder legislativo do estado de São Paulo estava tomando o lugar da União ao criar uma lei sobre material bélico. Além disso, o governo paulista afirmou que o tema já teria sido regulamentado pelo Estatuto do Desarmamento, que proíbe a venda e importação de brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo.

Assim, referida lei foi contestada no Supremo Tribunal Federal pela chamada Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5126.

A DECISÃO DO STF

Ao julgar a ADI 5126, o Supremo decidiu, em sessão plenária virtual ocorrida no dia 16 de dezembro de 2022 que a Lei 15.301/2014 é constitucional, pois ela trata de dois temas – direito do consumidor e proteção à criança e ao adolescente – que podem ser tratados tanto pela União, quanto pelos estados, vez que eles possuem, neste caso, o que chamamos de competência concorrente.

Em seu voto, o ministro Gilmar Mendes, relator do julgamento, destacou que a lei visa proteger crianças e adolescentes e que a regulação de fabricação, venda e comercialização de armas de brinquedo pode ser feita estadual ou nacionalmente.

Já o ministro André Mendonça, assim como Nunes Marques, entendeu ter havido invasão da competência da União pelo estado de São Paulo, divergindo do relator Gilmar Mendes.

CONCLUSÃO

Com o término do julgamento da ADI 5126, a Lei 15.301/2014 passou a ter sua validade confirmada pelo STF e começa a valer no estado. Você acha uma lei válida e importante ou não? Conta sua opinião nos comentários!

Quer saber mais sobre algum assunto? Deixe sua sugestão!

Você também pode deixar uma avaliação no Google, dizendo o que achou do artigo.

D. Ribeiro é Advogado Criminal na Capital – SP – Brasil, e possui também um canal no Youtube chamado Notícias do Ribeiro, para falar direto comigo basta clicar aqui 👉 https://wa.me/5511954771873

Categorias: Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s