Crime contra o consumidor

CRIMES CONTRA O CONSUMIDOR – VENDA DE PRODUTO FALSIFICADO COMO SE FOSSE ORIGINAL

Nas última semanas, abordamos o assunto de crimes contra o consumidor aqui no blog e falamos sobre três delitos, sendo eles: propaganda enganosa, cobrança vexatória e  omitir sobre a nocividade ou periculosidade do produto.

O assunto é muito amplo e envolve diversos crimes, mas, a pedido de um leitor, falaremos sobre mais uma prática, que é a venda de produto falsificado como se fosse original. Siga conosco até o final para saber mais a respeito deste delito!

O CRIME DE VENDA DE PRODUTO FALSO COMO ORIGINAL

O artigo 66 do Código de Defesa do Consumidor, prevê:

Art. 66. Fazer afirmação falsa ou enganosa, ou omitir informação relevante sobre a natureza, característica, qualidade, quantidade, segurança, desempenho, durabilidade, preço ou garantia de produtos ou serviços:

Pena – Detenção de três meses a um ano de multa.

§ 1º – Incorrerá nas mesmas penas quem patrocinar a oferta.

§ 2º – Se o crime é culposo:

Pena – Detenção de um a seis meses ou multa.

Esse dispositivo prevê que é crime fazer afirmação falsa ou enganosa, ou seja, mentir ao consumidor acerca da natureza, das características, qualidade entre outras características do produto oferecido pelo fornecedor.

Isso porque é dever do fornecedor manter o consumidor informado sobre o produto que ele está adquirindo. Assim, aquele que vende o objeto deve informar a quem o compra se ele se trata ou não de uma peça original.

Devemos ressaltar que também é crime não falar nada sobre as características verdadeiras do produto, ou seja, se omitir quanto à veracidade e qualidade dele.

O QUE FAZER QUANDO COMPRAR PRODUTO FALSIFICADO?

Em tempos de crescimento da compra/venda de produtos pela internet, cada vez mais consumidores tem adquirido algo por um “bom preço” sem saber que se trata de falsificação. Nesses casos, o que o comprador deve fazer?

Existem duas opções e a primeira é ir até o local da compra com a nota fiscal e exigir alternativamente e a SUA escolha entre: a entrega do produto original, a restituição imediata do valor que pagou monetariamente atualizado, ou o abatimento proporcional do preço.

Para isso, deve-se ficar atento ao prazo de 7 dias conforme o CDC e, caso o comerciante se recuse a respeitar o seu direito, procure o PROCON para abrir uma reclamação contra ele.

A segunda alternativa, que pode ser usada junto com a primeira, é procurar uma delegacia, já que vender produtos falsificados como se fossem originais é crime.

CONCLUSÃO

Devemos sempre ficar muito atentos aos produtos que adquirimos para não sofrermos nenhum golpe, mas caso você vire vítima em um caso assim, não hesite em correr atrás de seus direitos!

O assunto de hoje foi sugerido pelo leitor Cláudio e se você também quiser saber algum assunto, deixe sua sugestão!

Você também pode deixar uma avaliação no Google, dizendo o que achou do artigo.

D. Ribeiro é Advogado Criminal na Capital – SP – Brasil, e possui também um canal no Youtube chamado Notícias do Ribeiro, para falar direto comigo basta clicar aqui 👉 https://wa.me/5511954771873

Categorias:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s